O Natal é uma das datas mais esperada pelos varejistas brasileiros. A prática anual de troca de presentes movimenta bilhões de reais no país. O ano de 2020 começou bem, mas com o surgimento da pandemia de Coronavírus foi caindo o movimento.

Em dezembro, os varejistas costumavam registrar um aumento nas vendas de até 40%. Porém, em um ano marcado pelo isolamento social e fechamento das lojas físicas por um longo período, muitos comerciantes admitiram certo pessimismo com a chegada das festas de fim de ano.

Mas, com o pagamento da última parcela do auxílio emergencial disponibilizado pelo Governo Federal às famílias de baixa renda, dezembro foi um mês que movimentou a economia com a compra de presentes de Natal.

Resultados do varejo – Vendas online registraram crescimento

As tradicionais compras de Natal foram um alívio para os varejistas dedicados ao comércio eletrônico. Isso porque as vendas online cresceram 44,6% em relação ao Natal de 2019. Além disso, muitos comerciantes relataram que trabalharam mais do que o esperado.

De acordo com dados divulgados pela EbitNielsen, os resultados do varejo foram satisfatórios porque os lojistas atingiram o mesmo volume de vendas alcançado no ano anterior. Isso deu um estímulo a mais, em um ano de declínios e dificuldades para vender.

Portanto, os varejistas que investiram em suas lojas virtuais e prepararam suas equipes na loja física para prestar um bom atendimento, oferecer preços especiais e formas de pagamento facilitadas, foram recompensados com o aumento nas vendas.

Maior volume de vendas

Mesmo com a reabertura das lojas físicas, muitos consumidores optaram por fazer suas compras em lojas virtuais. Assim sendo, entre os dias 10 e 24 de dezembro, as vendas somaram mais de R$ 3 bilhões de reais.

No mesmo período do ano anterior, 2019, as vendas foram de R$ 2,6 bilhões. Sem dúvida, uma boa notícia para o varejo que também sofreu os impactos inevitáveis da pandemia do Coronavírus, mesmo que em menor grau que outros setores de mercado.

Conforme os dados coletados pela EbitNielsen, os brasileiros realizaram mais de oito milhões de pedidos através da internet nas duas semanas que antecederam o Natal. Assim constatou-se alta de 27,5%. Além disso, o valor médio das compras realizadas em lojas virtuais aumentou 13,4%.

Comércio eletrônico brasileiro em alta

Ano após ano, tem crescido o volume de compras online. A comodidade de fazer compras sem sair de casa tem agradado cada vez mais os brasileiros. Diferentes tipos de produtos são procurados, desde eletrodomésticos até perfumes. Muitas vezes, o que atrai são os preços mais baixos, que juntamente com a oferta de frete grátis torna a compra mais vantajosa se comparada à loja física.

Curiosamente, o ano de 2020 recebeu novos consumidores digitais. Pessoas que não tinham o hábito de fazer compras através da internet experimentaram e aprovaram o comércio eletrônico. Assim, novos clientes surgiram engrossando a fatia das compras de Natal. De acordo com a EbitNielsen, 14% dos consumidores compraram pela primeira vez em lojas virtuais.